Propaganda Cabeçalho

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Passeio 2 dias e uma noite na Floresta Amazônica

Conhecer a Floresta Amazônica é, de fato, o real motivo da viagem. Se você está indo para a capital com o mesmo intuito que a gente, esse passeio é indispensável!
Decidimos que íamos dormir na Selva antes de fechar a viagem até.
Pra falar a verdade, estávamos indecisos entre Gramado e Manaus (super igual), mas pelos relatos e por todo contexto que envolve o estado, Manaus ganhou nosso coração antes mesmo de chegarmos.
Sem dúvidas foi uma forma diferente de viagem pra gente e uma descoberta muito feliz da imensidão que é esse Brasil muito mal explorado, diga-se de passagem.
Escolhemos a empresa Iguana Turismo, que eu recomendo fortemente pra vocês!
Já falei outras vezes, a escolha da empresa pra qualquer tipo de passeio, em qualquer lugar, é parte vital pra que você não tenha surpresas desagradáveis.
Vale lembrar que: lá não funciona celular, nenhum tipo de sinal mesmo! É você e a natureza desfrutando de dois dias de aventura e frio na barriga! haha

O que levar? 
Tentei pedir umas informações antes pra já ir preparada pro passeio. Tentamos levar pouca bagagem, porque a ideia inicial seria levar tudo para o passeio para não termos que pagar uma diária a mais no hotel sem dormir por lá. Mas no final acabamos deixando o "grosso" no hotel mesmo e levamos apenas uma mochila pra nós dois.
  • Repelente
  • Calça comprida (para a trilha na selva) 
  • Produtos de higiene pessoal (shampoo, sabonete, desodorante) 
  • Roupa de banho caso queira nadar no rio
  • Tênis
  • Chinelo
  • Roupas leves para o passeio de barco
  • Óculos de sol (se quiser)
  • Capa de chuva (não levamos, mas alugamos no alojamento por R$ 10 cada capa) 
  • Algum lanchinho (apesar das refeições estarem inclusas, acho que levar um pacote de bolacha, um clubsocial, é sempre bom)
  • Dinheiro (bebidas não estão inclusas no pacote, apenas água)
1° Dia na Selva 
Acordamos cedinho, tomamos nosso café e ficamos esperando o Wilson passar lá no hotel. 
Confesso que rolou um medinho do que estava por vir. Não é nada usual pra gente que somos super urbanos pensar em dormir juntinho com sapinhos e arranhas. Mas calma, que não foi bem assim! 
O caminho até chegarmos ao alojamento é bem cansativo. 

"8 da manhã traslado do hotel para o porto do CEASA onde será usada uma lancha rápida para ir a Vila do Careiro passando pelo encontro das águas (junção dos rios Negro e Solimões). Do Careiro até o rio Paraná do Mamori será utilizado um carro durante 50 minutos. Chegando rio no Paraná do Mamori de onde seguirão lancha durante 45 minutos até a pousada com chegada programada para 11h30 da manha."






Ufa! Chegamos por volta de 11 hs, somos até nossos quartos. 
Estava esperando chegar nessa parte para falar sobre os quartos. Optamos pelo chalé com banheiro privativo. O chalé era uma gracinha, todo limpo, amamos!
Na época do nosso passeio tinham poucas pessoas, então o banheiro não estava em situação caótica, mas em alta temporada a coisa não funciona desse jeito.



Acho que a escolha do chalé com banheiro privativo foi um das mais certeiras pra gente. Alguns míseros reais a mais valem a pena nessa hora.
Seguimos pro almoço, que estava delicioso! Comidinha caseira e cheia de amor ❤. Eu não curto muito peixe, a Maria cozinheira do lugar) fez uns ovos cozidos pra complementar a refeição. /o menu era pirarucu, arroz, farofa e salada.


O tempo não estava dos melhores, então depois do almoço fizemos a pesca de piranha ali no deck mesmo do alojamento.
Mas Carol se tem piranha ali, como a gente pode nadar? Então, na época de inverno a água fica mais apta para banho pela cor. No verão ela fica mais barrenta, as piranhas não enxergam bem, e aí acabam mordendo as pessoas.


15 minutos depois da nossa "pescaria" olha o que veio de presente!


Fiquei meio apreensiva com a chuva. Estava realmente muito forte! E a dona do alojamento pra ajudar falou que nunca tinha visto uma chuva igual antes, comentário caloroso #SQN
Mas assim como chegou, logo ela foi embora, deixando pra trás só uns chuvisquinhos. Então seguimos para a programação do dia.
Como tinha dito, alugamos a capa de chuva, entramos na canoa e seguimos para observação dos pássaros, vitória-régia e  pôr do sol.






Ele dá uma volta pelo rio e as aves você conselhe avistar bem de longe. E com a chuva, não ajudou muito. E o pôr do sol não vimos. Falaram que nessa época não tem, não demos muita sorte.
Jantamos as 19 horas, o que sobrou do peixe do almoço ela fez um bolinho de peixe, arroz, salada e as piranhas que pescamos.
Descansamos por uma hora e fomos para a focagem de jacaré. Foi a parte de maior adrenalina! haha
Na mesma canoa do passeio da tarde, fomos na maior escuridão atrás de algum jacaré. Matheus, o guia, fica na frente com uma luz na cabeça e um outro guia fica no motor do barco. Você não consegue ver absolutamente nada, a não ser a parte que ele ilumina com a luz presa na sua cabeça. Em 15 minutos ele viu o jacaré filhote, pegou e já prendeu a boca. Foi muito rápido, Matheus super habilidoso 👀.


Ele explicou um pouco pra gente sobre o jacaré e também dividiu algumas das histórias que ele já viveu por lá, foi bem bacana.
Na volta ainda ficamos bebendo no lugar onde são servidas as refeições, nos rendeu uma noite de boas risadas.
Alegres bêbados e mais destemidos, fomos dormir! No nosso quarto não avistamos nada de diferente além de algumas arranhas inofensivas. Já no quarto coletivo tinha uma amiga perereca na porta, mas que logo Matheus espantou.
Resumo da noite: álcool, muita risada e cansaço de sobra!

2° Dia na Selva

Às 5h30 passeio de canoa para observar a natureza pela manhã, o nascer do sol e pássaros. Pra esse passeio eu não consegui acordar, culpa da ressaca! Rafa disse que não perdi muito, eles novamente não conseguiram ver "nada", eles falaram que não tem nascer do sol também na época de inverno (abril) .


Em seguida café da manhã: café, leite, suco, pão de forma, manteiga, ovos e um panzinho frito que eu não consigo me recordar o nome.
Uma hora para descanso e partimos para a trilha na floresta.
A trilha é plana e no meio da selva mesmo. Ela é um pouco cansativa, mas nada surreal.
Matheus, nosso guia maravilhoso, ia explicando tudo sobre as coisas mais interessantes de lá. Foi muito diferente e bacana.






A mata tava com bastante lama por causa da chuva, é bom levar roupas que você não vá se preocupando em sujar, porque além da sujeira você pode ser como eu e cair de bunda bem em uma poça de lama.
Voltamos pro barco cerca de 1h30 depois e seguimos para um último passeio onde vimos até alguns botos nadando.
Já de volta ao alojamento, de banho tomado, almoçamos, nos despedimos do pessoal e seguimos para Manaus.


A experiência foi muito boa, gostamos de verdade! Queríamos ter mais tempo para acampar na floresta, mas infelizmente não conseguimos. Mas isso quer dizer que temos mais um motivo para voltar para Manaus.
Parece meio clichê falar essas coisas, mas quando você vivência coisas do tipo consegue dar um pouco mais valor pro que tem.
Por conta da chuva, ficamos sem luz por algumas horas lá (depois eles ligaram o gerador, ficou tudo bem), a Maria, que cozinhou as comidas maravilhosas pra gente, não tinha luz na casa dela. Sim, ela vivia sem luz 24 horas e a gente se importando com meia hora sem, somos tão tolos às vezes.
Mas foi ótimo ver o quão pequeno somos, e quão sem sentido são algumas atitudes e pensamentos que temos!
O passeio trouxe muita coisa boa pra gente. Recomendamos, novamente, a empresa. Que sem dúvidas ajudou para que essa experiência se tornasse inesquecível!




sexta-feira, 12 de maio de 2017

Passeio em Manaus: 1 Dia na Floresta

Se tem pouco tempo e procura conhecer tudo que Manaus tem pra oferecer, o passeio de 1 dia é perfeito pra você! 
Antes de ir pra Manaus, pesquisamos bastante pra de fato tentar conhecer o máximo de coisas que conseguíssemos, no curto prazo de tempo que tínhamos. Aconselho você a fazer isso antes de começar qualquer vigem, planeje-se! Tente aproveitar o máximo do seu tempo no local onde vai visitar. 
Eu até diria pra vocês que o passeio de um dia é bom apenas pra quem não vai dormir na selva, mas eu acho que ele foi maravilhoso pra gente que também dormiu na selva. Nele você tem contato mais direto com os animais e consegue conhecer um pouco da floresta, um leque de informações com o guia, é um passeio bem turístico! Diferente da experiência de quem opta por dormir na selva um ou dois dias.
Fechamos esse passeio com a Agencia Amanzing Tours. 
O passeio é monitorado por um guia, que te explica tudo em cada parada. A lancha rápida é toda equipada com colete salva-vidas, com água de cortesia e outras bebidas caso queira comprar. 


Você tem translado incluso para o porto de qualquer hotel no centro de Manaus.
Como não ficamos por lá, nos encontramos no porto onde fomos recebido por um dos funcionários, que nos levou até a lancha.

Encontro das Águas 

Nossa primeira parada foi no Encontro das Águas. Pra quem não sabe, o Encontro das Águas é um fenômeno que acontece no Amazonas após a confluência do Rio Solimões, de água barrenta, com o Rio Negro, de água escura. Os dois rios ficam lado a lado sem misturar suas águas, devido às diferentes densidades e velocidades. A paisagem é bem bonita, mas muito mais visível em dias ensolarados, o que não foi o nosso caso.


Artesanato e Pescaria

Seguimos e logo a lancha parou em uma especie de feirinha de artesanato flutuante. Na realidade mais parecia a casa de algum indio com duas mesinhas vendendo artesanatos. Eles ainda "oferecem" animais pra você ficar segurando e tirando fotos. Somos bastante contra esse tipo de coisa, então a parada valeu apenas pra gastar um pouquinho com as lembrancinhas.
De lá paramos em uma peixaria flutuante.


A peixaria faz criação de pirarucus e em uma parte separada ficam os maiores, de 110kg em média. Pra entrar nessa parte você paga R$ 5 e "pesca" eles. Na realidade você ganha um baldinho com peixes uma vara e basicamente alimenta eles. Mas cuidado porque levamos algumas porradas da vara, os bichos são porretas! hahaha


Vitorias-Regias e Almoço 

E a manhã já estava indo embora e nosso estômago roncando, partimos para o restaurante flutuante.
No próprio restaurante existe um caminho que leva até um lago tem várias vitórias-régias.




Ainda tem uns amigos macaquinhos atrás de comida. Eles são bem arteiros e ás vezes pegam objetos das nossas mãos achando que é comida, então é sempre bom ter um pouquinho de cuidado. E é bom enfatizar sempre: Não alimente os animais!


No caminho pra ver as vitórias-régias ainda tem uma casa flutuante com uns artesanatos lindíssimos e com preço ótimo!
Seguimos pro restaurante, no flutuante ao lado, e lá eles funcionam com serviço de buffet à vontade, com comidas típicas da região e as bebidas vendidas separadas. O almoço já é incluso no passeio também!



Comida caseira, bem feita, muitas opções e acompanhadas de um baré geladinho. Saudades baré 💓

Nadando com os botos

E fomos pra parte mais esperada do passeio, ver nossos golfinhos de água doce, os botos-cor-de-rosa.
A lancha seguiu em um caminho por quase uma hora até chegar no local.
O caminho é bem bonito, a lancha vai pelo meio dos igarapés. E ainda deu pra tirar um cochilinho até lá.
Chegando lá eles te mostram o local para se trocar e eles nos dividem em 2 grupos para não ficar muita gente na água.


Eles prendem um colete salva-vidas na nossa cintura e entramos na água junto com um instrutor que atrai os botos com peixes. Rapidinho você já sente eles esbarrando em você, que frio na barriga! haha



Eu amei muito! Achei uma experiência tão única. Só tem que dar sorte de não estar com umas pessoas sem noção que ficam tão em cima que você mal consegue ver o bicho. Mas isso a gente consegue contornar.

Aldeia Indígena e Retorno Manaus

E por fim seguimos para a aldeia indígena, fomos recebidos pelo Pajé da tribo e pelos índios mirins super fofos. 
Já dentro da oca, o Pajé se apresentou na nossa língua e na deles, conhecemos um pouco da cultura deles, tocaram alguns instrumentos para a gente ver e ainda teve uma dança de boas vindas e uma no final que todos participaram.


Nos fundos de onde entramos tinha uma outra oca simples com artesanatos feito por eles mesmos para ajudar a comunidade. E ainda do lado, uma oca cheia de iguarias que eles preparavam para as refeições. Tinha até a famosa formiguinha que é servida em um restaurante famosíssimo em São Paulo, que custa um rim, comemos de grátis!


Eu achei muito legal ver tudo isso de perto. É realmente um universo que a gente não imagina, acaba vendo nos filmes e fantasia, mas não tem noção alguma de como é de verdade. Um pouquinho da cultura brasileira em dia, foi demais!
E logo após, partimos rumo ao porto de Manaus.

Mas Carol, como ir?

Fomos com a Amazing Tours. A empresa é formada por guias locais, super animados e que levam o trabalho super à sério.
Todos os guias são especializados (o nosso guia era demais de legal!) para fornecer as melhores informações e enriquecerem muito mais sua viagem na Amazônia.
O passeio custou R$ 175 por pessoa com o almoço incluso (sem bebidas). O custo beneficio foi espetacular!
Eles tem outras opções de passeios nesse mesmo estilo, mandem email para receber o orçamento.
E uma informação muito boa, é que a agencia também organiza idas para o festival de Parintins. Barcos, suítes, ficamos bem tentados e já será um próximo destino na nossa agenda.
Um bom planejamento, somados a uma empresa de confiança fazem sua experiência ser muito mais tranquila, segura e prazerosa.
Para emtrar em contato: Amazing Tours Whats app 092991867133 / 09241019081 
Email:leonardo@amazingtours.com.br


quarta-feira, 10 de maio de 2017

Lançamentos Schär

Na última semana estivemos na Apas, maior feira de supermercadista do mundo, e conferimos vários lançamentos deliciosos!
Schär já participa pelo terceiro ano consecutivo e em 2017, a estrela da marca é a linha de pratos prontos congelados sem glúten, composta por: Pizza Margherita, Pizza Salame e Lasanha à Bolonhesa.


“No Brasil, são consumidas 1 milhão de pizzas por dia, e a oferta para o consumidor que precisa ou opta por seguir uma dieta sem glúten é muito limitada. Ou seja: trata-se de uma oportunidade única para atender – com alto nível de excelência – o consumidor que está ávido por soluções saborosas e seguras”,  explica Ticiana Menezes, diretora comercial e de marketing da Schär


Não tivemos oportunidade de experimentar, mas assim que fizermos contarei nos detalhes!
Fora os congelados, a marca lançou uma versão de torradas com embalagem prática de 83 gramas e, além de ser sem glúten e sem conservantes, como toda a linha Schär, é também sem lactose.

Leves e crocantes, são ideais para acompanhar o café da manhã, lanche da tarde ou aquela tradicional sopa no anoitecer. 
Selo Gordices de qualidade, amamos! 
E você, consome os produtos da Schär? Já provou alguma das novidades? Conta pra gente!! 


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Enoteca Mediterrâneo

Os últimos dois dias na ilha foram os que comemos melhor. E um dos lugares que fomos foi o Enoteca Mediterrâneo.
Fomos até lá também por indicação, dessa vez foi do músico que tocava lá na parte da noite, já que não tínhamos onde ir, resolvemos arriscar e amamos!
O restaurante fica na vilinha, o ambiente é super acolhedor e o atendimento excelente!
Por sugestão do dono, pedimos o macarrão com frutos do mar e o outro de camarão ao funghi.



DELICIOSO! Os pratos são mega fartos e valem cada centavo, sério! Estava tudo muito bom mesmo.
Infelizmente não conseguimos voltar outro dia por falta de tempo, mas quem tiver oportunidade não deixem de conhecer o lugar é ótimo!

Enoteca Mediterrâneo
Rua Caminho da Praia 122 - Morro, Bahia, Brazil
Ligar (75) 3652-1760

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Restaurante America Nove de Julho

Pra quem segue a gente aqui já não é segredo que o America é um dos nossos queridinhos de São Paulo.
Escolhemos o lugar para uma janta especial, aniversário da Carol do Cozinha Autoral.
O restaurante não foge muito o padrão das outras unidades, ambiente com decoração moderna, aconchegante e comporta tanto casais, famílias e/ou grupos de amigos. Eis a melhor parte, seu cardápio dispõe de pratos deliciosos, hambúrgueres, sanduíches, saladas e sobremesas fora do normal deliciosas!
Já comi bastante coisa por aqui, mas nunca tinha experimentado a massa. Já tinha ido com ela na cabeça e que decisão deliciosa!


Salmon & Pasta: Fettuccine servido com filet de salmão grelhado de 150 gramas com manteiga temperada com molho a sua escolha: tomates, paulista, champignon com ricota ou três molhos.

Paillard de Mignon & Pasta: Fettuccine servido com paillard de filet mignon ou paillard de frango de 150 gramas com o famoso e exclusivo molho Paulista America.

Ai gente triste por ter demorado tanto pra provar a massa daqui, que delícia!
Fora que o prato é extremamente bem servido. 
Gostei bastante do molho deles e a carne estava uma delícia   Carol garantiu que o peixe não ficou atrás não. 
Como bem dá pra ver na foto a duas já estavam rolando satisfeitissimas, mas não tinha como sair de lá sem comer uma sobremesa.
Fiquei com o milkshake farofino 💖 e a Carol pediu um frozen de nutella.


Estavam bem gostosas! Eu amei o frozen, também nunca tinha provado. O azedinho deu o contraste perfeito com o doce da nutella. 
A visita foiuma delícia! Atendimento, como sempre, bem atencioso e a qualidade (de sempre também) que você encontra nos Restaurantes América. 

Restaurante America Nove de Julho
Avenida Nove de Julho, 5363, Centro 01407-200
Telefone (11) 3708-3620


segunda-feira, 17 de abril de 2017

Onde comer em Morro de São Paulo: Sabor da Terra

Viemos aqui por indicação de um casal que conhecemos no passeio de volta a ilha (relembre).
O restaurante fica bem no comecinho da ilha, antes mesmo de chegar nas praias.
Lugar aconchegante e preço bem honesto, com muitas opções de pratos, de pfs a moquecas.
Fomos de moquequinha de camarão com banana da terra.




O prato não demorou e a porção era bem generosa. Comemos e ainda repetimos! 
A melhor parte desse foi que não tinha gatíneos hahahaha
A maioria dos restaurantes de Morro tem gatos, e eu tenho problemas tenho pavor com gatos. 
Apesar do péssimo atendimento, o lugar merece uma chance pela qualidade da comida e do ambiente. 


Imperdível!